Sumário

Segundo o estudo “A AJAP[1] e os Jovens Agricultores em Portugal” a geração mais jovem tem perdido o interesse pela agricultura. Este assunto, assume particular importância, pela necessidade premente de atrair jovens para o sector agrícola nacional, face ao envelhecimento acentuado da população agrícola portuguesa, ao crescente abandono de terras e subsequentes problemas, baixo nível de instrução e formação e uma reconhecida incipiente capacidade de inovação, factores restritivos do desenvolvimento do sector agrícola nacional.

Por outro lado, em estudos como ”Os jovens portugueses e os usos dos media e TIC” onde os jovens são alvo de atenção e estudo sobre a ocupação do tempo no dia-a-dia, as principais actividades de lazer, os padrões de uso da televisão, internet e telemóveis, bem como as suas atitudes em relação a estes meios e a previsão de uso no futuro concluísse que os jovens ocupam cada vez mais tempo com as tecnologias que os rodeiam. Outro factor importante a salientar é que esse tempo gasto com as tecnologias por vezes não serve de agregador familiar.

A ideia do nosso projecto nasce a partir de factos com estes, mas também do nosso enquadramento familiar (principalmente das gerações anteriores) com o vínculo à agricultura em risco. Nesta reflexão inicial incluímos o nosso gosto – que não podemos negar – pela tecnologia.

O que pode ser feito perante esta divergência de interesses, em que os jovens se direccionam cada vez mais para um abstracção do mundo rural enquanto mercado de trabalho ou saída profissional e convergem para o mundo tecnológico, empurrando para as gerações anteriores de adultos e seniores uma continuidade a prazo do sector agrícola?

Este afastamento geracional de interesses pode ser minimizado? Que estratégias de convergência entre jovens e adultos/seniores com preocupações diferentes podemos adoptar para que se consiga um equilíbrio que ajude a um maior convívio inter-geracional?

Perante este desafio, estamos muitos entusiasmados em tentar contribuir para um novo equilíbrio de interesses através da aplicação dos conhecimentos tecnológicos dos jovens no sector agro-ecológico ajudando a estabelecer uma ponte de contacto entre os jovens e os interesses das suas famílias. Os jovens podem partilhar e aplicar os seus conhecimentos tecnológicos, e a gerações anteriores, por sua vez, podem partilhar os seus conhecimentos agrícolas com os jovens.

Este tipo de nova parceria desperta ainda a uma maior consciência ambiental e agrícola dos jovens, assim como os sensibiliza para a importância deste sector na actividade económica e de como é fundamental no quotidiano e na economia.

A oportunidade de ter jovens adolescentes a experimentar a agricultura, a contactar com o meio ambiente e a aprender com a experiência dos mais velhos poderá ter inúmeros benefícios. Os jovens aprenderão, o planeta sai a ganhar, e ainda ficam com uma nova visão de como a agricultura e os alimentos são parte integrante das suas vidas e saúde.

Finalmente, este projecto irá abranger indirectamente outros temas que são de interesse dos jovens e que se relacionam com a agricultura e o ambiente, como a agricultura biológica, as vantagens em comprar produtos locais e a cadeia de produção de alimentos.

No que diz respeito à parte tecnológica o confronto com a necessidade de implementação de novos projectos ajuda a pesquisar, estudar e aplicar conhecimentos técnicos para resolver problemas e encontrar soluções concretas.

Palavras-chave:  Jovens, Tecnologia, Abandono Agrícola, Interacção Geracional, Ambiente

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s